No items found.
No items found.
Menu
Finalizar o Pedido
0
HOME
CATÁLOGO
Direito
O cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes

O cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes

Autor:
José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni
Ano:
2022
Tradutor:
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
Tradutor:
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
1ª Edição
Encadernação:
Brochura
ISBN:
9786553960145
páginas:
196
Dimensões:
21
cm
×
2
cm
×
14
cm
Peso:
210
g

RESUMO

A Editora Contracorrente tem a satisfação de anunciar a publicação do livro O Cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes, de José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni.Escrita com muita vivacidade e contundência, a obra resgata os relatos colhidos durante os mutirões carcerários promovidos pelo Conselho Nacional de Justiça em 2008, os quais escancararam os inúmeros e brutais episódios de violação a direitos humanos básicos nos presídios brasileiros.Partindo do entendimento de “que o problema não decorre apenas de décadas de negligência, com políticas públicas reiterada e sistematicamente ineficientes, mas também de uma insensibilidade social profunda”, os autores, em exercício de empatia e de suspensão de julgamento, dão voz aos apenados e egressos. Assim, conhecemos histórias repletas de injustiças e (finalmente) justiças, lances de sorte e azar, julgamentos e discriminações, marginalização e ressocialização, degeneração e regeneração, voltas e reviravoltas de personagens como Beatriz, Simone, Guilherme e Raimundo José, nomes fictícios (usados para a proteção dos entrevistados), mas cujas histórias são profundamente humanas e “correspondem a processos judiciais reais, representativos de inúmeros outros em situações análogas, de pessoas esquecidas pelo sistema prisional”.Como salienta o ministro Gilmar Mendes, que assina o prefácio do livro: “ouso dizer que a presente obra, além do resgate histórico, marca, no Brasil, o trabalho de vigilância e de revisão das prisões, que deve ser permanente e interinstitucional para que os casos emblemáticos trazidos à lume passem cada vez mais a serem exceções, e não regra”.Trata-se, portanto, de uma obra pungente, permeada pela violência física, social e institucional, mas também e principalmente por exemplos de superação de adversidades e por projetos de ressocialização marcantes, na composição de um quadro capaz de tocar o leitor e promover uma mudança nas noções retrógradas “do punitivismo vingativo e do encarceramento em massa”.‍

sobre

A Editora Contracorrente tem a satisfação de anunciar a publicação do livro O Cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes, de José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni.

Escrita com muita vivacidade e contundência, a obra resgata os relatos colhidos durante os mutirões carcerários promovidos pelo Conselho Nacional de Justiça em 2008, os quais escancararam os inúmeros e brutais episódios de violação a direitos humanos básicos nos presídios brasileiros.

Partindo do entendimento de “que o problema não decorre apenas de décadas de negligência, com políticas públicas reiterada e sistematicamente ineficientes, mas também de uma insensibilidade social profunda”, os autores, em exercício de empatia e de suspensão de julgamento, dão voz aos apenados e egressos. Assim, conhecemos histórias repletas de injustiças e (finalmente) justiças, lances de sorte e azar, julgamentos e discriminações, marginalização e ressocialização, degeneração e regeneração, voltas e reviravoltas de personagens como Beatriz, Simone, Guilherme e Raimundo José, nomes fictícios (usados para a proteção dos entrevistados), mas cujas histórias são profundamente humanas e “correspondem a processos judiciais reais, representativos de inúmeros outros em situações análogas, de pessoas esquecidas pelo sistema prisional”.

Como salienta o ministro Gilmar Mendes, que assina o prefácio do livro: “ouso dizer que a presente obra, além do resgate histórico, marca, no Brasil, o trabalho de vigilância e de revisão das prisões, que deve ser permanente e interinstitucional para que os casos emblemáticos trazidos à lume passem cada vez mais a serem exceções, e não regra”.

Trata-se, portanto, de uma obra pungente, permeada pela violência física, social e institucional, mas também e principalmente por exemplos de superação de adversidades e por projetos de ressocialização marcantes, na composição de um quadro capaz de tocar o leitor e promover uma mudança nas noções retrógradas “do punitivismo vingativo e do encarceramento em massa”.

Índice

CAPÍTULO I – SÚPLICAS NORDESTINAS

Ceará

Raimundo José: persistência e comunidade

Jerônimo Xavier: esquecimento no cárcere

Simone: reviravoltas e superações

Maranhão

Marco Aurélio: falhas processuais e punição tardia

Mathias: a fé que restaura

Bahia

Roque: brutalidades e a restauração de pessoas

Juan Pérez: amor à nova pátria

Ângelo Fernandes: a arte que condena

CAPÍTULO II – UM NORTE PARA O CAMINHO DA RESSOCIALIZAÇÃO

2.1 Amazonas

Rômulo: a dura face da miséria

Carlos Alves: da injustiça ao retorno à dignidade

CAPÍTULO III – NO CORAÇÃO DO PROBLEMA CENTRAL

3.1 Goiás

Humberto: o cárcere em mundos distintos

3.2 Distrito Federal

Guilherme: a reciclagem de vidas

Joaquim: o conhecimento que liberta

CAPÍTULO IV – ATRAVESSANDO AS FRONTEIRAS DO PRECONCEITO

4.1 Paraná

Pedro Alcântara: a comunicação transformadora

Flávio Ribeiro: uma odisseia à ressocialização

CAPÍTULO V – DO CAOS HISTÓRICO À BUSCA POR NOVOS RUMOS

5.1 Espírito Santo

Gustavo: empreendedorismo em prol da sociedade

Ubiracir: da exploração à conscientização

Rafael: musicalidade controversa

Bruno: a criminalidade que não escolhe classe social

5.2 Rio de Janeiro

Beatriz: dramas familiares que levam a tragédias sociais

Sebastião: das mãos ceifadoras de vidas ao replantio da vitalidade

Renato: o falso glamour da criminalidade

Ronaldo Antônio Miguel Monteiro: a mão estendida que faz a diferença

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Suspendisse varius enim in eros elementum tristique. Duis cursus, mi quis viverra ornare, eros dolor interdum nulla, ut commodo diam libero vitae erat. Aenean faucibus nibh et justo cursus id rutrum lorem imperdiet. Nunc ut sem vitae risus tristique posuere.

O cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes

Preço de capa do Produto:
R$ 55,00 
Preço do Produto:
R$ 44,00 
Definir CEP PARA CÁLCULO de Frete
Adicionar CEP
Definir CEP PARA  CÁLCULO de Frete
CEP
Não foi possível realizar o cálculo de frete. Por favortente novamente.
VALOR DO FRETE para IMPRESSO NORMAL EM ATÉ X DIAS:
R$
Preço FINAL com FRETE:
R$
TOTAL A PAGAR:
R$ 44,00 

O cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes

Autor:
José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
Tradutor:
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
Tradutor:
Prefácio:
Ministro Gilmar Mendes
Tradutor:
Tradutor:
Ministro Gilmar Mendes
Ano:
2022
1ª Edição
Encadernação:
Encadernação:
Brochura
ISBN:
9786553960145
Dimensões:
21
cm
×
2
cm
×
14
cm
Páginas:
196
Peso:
210
g

RESUMO

A Editora Contracorrente tem a satisfação de anunciar a publicação do livro O Cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes, de José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni.Escrita com muita vivacidade e contundência, a obra resgata os relatos colhidos durante os mutirões carcerários promovidos pelo Conselho Nacional de Justiça em 2008, os quais escancararam os inúmeros e brutais episódios de violação a direitos humanos básicos nos presídios brasileiros.Partindo do entendimento de “que o problema não decorre apenas de décadas de negligência, com políticas públicas reiterada e sistematicamente ineficientes, mas também de uma insensibilidade social profunda”, os autores, em exercício de empatia e de suspensão de julgamento, dão voz aos apenados e egressos. Assim, conhecemos histórias repletas de injustiças e (finalmente) justiças, lances de sorte e azar, julgamentos e discriminações, marginalização e ressocialização, degeneração e regeneração, voltas e reviravoltas de personagens como Beatriz, Simone, Guilherme e Raimundo José, nomes fictícios (usados para a proteção dos entrevistados), mas cujas histórias são profundamente humanas e “correspondem a processos judiciais reais, representativos de inúmeros outros em situações análogas, de pessoas esquecidas pelo sistema prisional”.Como salienta o ministro Gilmar Mendes, que assina o prefácio do livro: “ouso dizer que a presente obra, além do resgate histórico, marca, no Brasil, o trabalho de vigilância e de revisão das prisões, que deve ser permanente e interinstitucional para que os casos emblemáticos trazidos à lume passem cada vez mais a serem exceções, e não regra”.Trata-se, portanto, de uma obra pungente, permeada pela violência física, social e institucional, mas também e principalmente por exemplos de superação de adversidades e por projetos de ressocialização marcantes, na composição de um quadro capaz de tocar o leitor e promover uma mudança nas noções retrógradas “do punitivismo vingativo e do encarceramento em massa”.‍

sobre

A Editora Contracorrente tem a satisfação de anunciar a publicação do livro O Cárcere da agonia: a superação dos sobreviventes, de José Louzeiro, Marcos Meira e André Di Ceni.

Escrita com muita vivacidade e contundência, a obra resgata os relatos colhidos durante os mutirões carcerários promovidos pelo Conselho Nacional de Justiça em 2008, os quais escancararam os inúmeros e brutais episódios de violação a direitos humanos básicos nos presídios brasileiros.

Partindo do entendimento de “que o problema não decorre apenas de décadas de negligência, com políticas públicas reiterada e sistematicamente ineficientes, mas também de uma insensibilidade social profunda”, os autores, em exercício de empatia e de suspensão de julgamento, dão voz aos apenados e egressos. Assim, conhecemos histórias repletas de injustiças e (finalmente) justiças, lances de sorte e azar, julgamentos e discriminações, marginalização e ressocialização, degeneração e regeneração, voltas e reviravoltas de personagens como Beatriz, Simone, Guilherme e Raimundo José, nomes fictícios (usados para a proteção dos entrevistados), mas cujas histórias são profundamente humanas e “correspondem a processos judiciais reais, representativos de inúmeros outros em situações análogas, de pessoas esquecidas pelo sistema prisional”.

Como salienta o ministro Gilmar Mendes, que assina o prefácio do livro: “ouso dizer que a presente obra, além do resgate histórico, marca, no Brasil, o trabalho de vigilância e de revisão das prisões, que deve ser permanente e interinstitucional para que os casos emblemáticos trazidos à lume passem cada vez mais a serem exceções, e não regra”.

Trata-se, portanto, de uma obra pungente, permeada pela violência física, social e institucional, mas também e principalmente por exemplos de superação de adversidades e por projetos de ressocialização marcantes, na composição de um quadro capaz de tocar o leitor e promover uma mudança nas noções retrógradas “do punitivismo vingativo e do encarceramento em massa”.

Índice

CAPÍTULO I – SÚPLICAS NORDESTINAS

Ceará

Raimundo José: persistência e comunidade

Jerônimo Xavier: esquecimento no cárcere

Simone: reviravoltas e superações

Maranhão

Marco Aurélio: falhas processuais e punição tardia

Mathias: a fé que restaura

Bahia

Roque: brutalidades e a restauração de pessoas

Juan Pérez: amor à nova pátria

Ângelo Fernandes: a arte que condena

CAPÍTULO II – UM NORTE PARA O CAMINHO DA RESSOCIALIZAÇÃO

2.1 Amazonas

Rômulo: a dura face da miséria

Carlos Alves: da injustiça ao retorno à dignidade

CAPÍTULO III – NO CORAÇÃO DO PROBLEMA CENTRAL

3.1 Goiás

Humberto: o cárcere em mundos distintos

3.2 Distrito Federal

Guilherme: a reciclagem de vidas

Joaquim: o conhecimento que liberta

CAPÍTULO IV – ATRAVESSANDO AS FRONTEIRAS DO PRECONCEITO

4.1 Paraná

Pedro Alcântara: a comunicação transformadora

Flávio Ribeiro: uma odisseia à ressocialização

CAPÍTULO V – DO CAOS HISTÓRICO À BUSCA POR NOVOS RUMOS

5.1 Espírito Santo

Gustavo: empreendedorismo em prol da sociedade

Ubiracir: da exploração à conscientização

Rafael: musicalidade controversa

Bruno: a criminalidade que não escolhe classe social

5.2 Rio de Janeiro

Beatriz: dramas familiares que levam a tragédias sociais

Sebastião: das mãos ceifadoras de vidas ao replantio da vitalidade

Renato: o falso glamour da criminalidade

Ronaldo Antônio Miguel Monteiro: a mão estendida que faz a diferença

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Suspendisse varius enim in eros elementum tristique. Duis cursus, mi quis viverra ornare, eros dolor interdum nulla, ut commodo diam libero vitae erat. Aenean faucibus nibh et justo cursus id rutrum lorem imperdiet. Nunc ut sem vitae risus tristique posuere.

Relacionados

Relacionados

Lançamentos

Lançamentos

Ver Mais Livros RelacionadosVer Mais Lançamentos

Cadastre seu E-mail para Receber Novidades

E-Mail
Obrigado. Seu cadastro foi realizado com sucesso!
Não foi possível enviar seus dados. Por favor revise seu endereço de e-mail, aceite os termos e condições e tente novamente.
© Editora Contracorrente LTDA
2023
Alameda Itu, 852, 1º andar, Paulista, São Paulo – SP, 01421-002
CNPJ: 22.120.667.0001-60
Alameda Itu, 852, 1º andar, Paulista
CNPJ: 22.120.667.0001-60
São Paulo – SP
CEP: 01421-002
CNPJ: 22.120.667.0001-60
Ao clicar em "Aceitar", você concorda com o armazenamento de cookies em seu dispositivo para aprimorar a navegação no site, analisar o uso do site e auxiliar em nossos esforços de marketing. Em caso de dúvidas, consulte as Políticas do Site para saber mais.